Portugal
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Manifestação pela habitação: deputados do Chega, recebidos com protestos, são escoltados pela polícia

O deputado do partido CHEGA, Rui Paulo Sousa, é acompanhado por elementos da polícia na manifestação "Casa para Viver, Planeta para Habitar" durante a manifestação pela habitação e pela justiça climática, contra a precariedade e o aumento do custo de vida

O deputado do partido CHEGA, Rui Paulo Sousa, é acompanhado por elementos da polícia na manifestação "Casa para Viver, Planeta para Habitar" durante a manifestação pela habitação e pela justiça climática, contra a precariedade e o aumento do custo de vida

ANTÓNIO PEDRO SANTOS

Manifestação decorre, em Lisboa, na Alameda Afonso Henriques

Três deputados do Chega foram recebidos com protestos na manifestação pela habitação em Lisboa, na Alameda Afonso Henriques, tendo de ser escoltados pela PSP, que formou um cordão de segurança.

Os parlamentares – Rui Paulo Sousa, Filipe Melo e Jorge Galveias – irromperam pela Alameda depois das 15h, quando já se concentravam centenas de pessoas, e alguns dos manifestantes abordaram-nos com palavras de luta. “Fascistas, não passarão” e “25 de abril sempre” foram algumas das palavras de ordem ouvidas.

A polícia teve de proteger os deputados do Chega, gerando depois críticas dos manifestantes à força policial.

“Estamos a ser agredidos em plena manifestação”, disse Rui Paulo Sousa aos jornalistas. “Estamos num país livre. Se acham que somos fascistas, é um problema que é deles [dos manifestantes]. Viemos para defender quem necessita de habitação condigna”, referiu o deputado, para quem “é óbvio que esta manifestação tem um caráter político de extrema-esquerda”.

Filipe Melo frisou que “a habitação é um direito de todos, não é um direito da extrema-esquerda”. “Viemos associar-nos às pessoas que precisam realmente de habitação e fomos recebidos com insultos e com várias agressões. É esta a democracia que as pessoas tanto apregoam? Se é isto, então estamos na democracia errada”, acusou.

Em declarações à comunicação social, o mesmo deputado garantiu que a delegação do Chega se vai manter na manifestação.

Protestos em várias cidades

As plataformas Casa para Viver e 'Their Time to Pay' promovem hoje um conjunto de manifestações pelo direito à habitação e pela justiça climática.

"Lutamos pelo direito à habitação e por permanecer nos espaços, por uma vida digna para todas as pessoas e por medidas que travem a crise climática. Estas são duas lutas contra o capital, que coloca a especulação e o lucro acima da vida", lê-se na informação difundida pelas duas plataformas.

Os protestos começaram esta manhã no Barreiro, Beja, Évora, Portalegre e Tavira.

Da parte da tarde, além de Lisboa, estão agendadas manifestações no Porto, Aveiro, Braga, Coimbra, Covilhã, Guimarães, Lagos, Leiria, Portimão, Viseu, Samora Correia e Alcácer do Sal.

Em atualização