Portugal
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Alesina e Rogoff: os pais da 'austeridade' em 2010, o seu impacto na economia e a história de um erro no Excel

A crise financeira mundial e depois a austeridade provocaram uma recessão durante seis anos consecutivos e o empobrecimento na Grécia

A crise financeira mundial e depois a austeridade provocaram uma recessão durante seis anos consecutivos e o empobrecimento na Grécia

foto LOUISA GOULIAMAKI/ AFP/GETTY IMAGES

Dois artigos académicos deram as munições a Bruxelas e ao Fundo Monetário Internacional para tornarem ainda mais duros os resgates durante a crise das dívidas na zona euro a partir de 2010, o tema que o Expresso aborda esta semana na série comemorativa dos 50 anos do jornal

O ano 2010 não ficou célebre apenas pelo primeiro resgate de um país em solo do euro. Em torno da salvação in extremis da Grécia de uma iminente bancarrota girou um pequeno enxame de palavras que se tornaram obrigatórias no discurso político e na análise económica.

A galeria incluía, então, o ajustamento orçamental (vulgo austeridade), a troika de credores, o MoU (memorando de entendimento com a troika), o acrónimo insultuoso dos PIGS lançado pela revista The Economist (ou PIIGS numa versão alongada), a condicionalidade (as condições draconianas colocadas às economias resgatadas) e o rating lixo (junk) das dívidas.

E ao baú da história foi-se buscar a famosa TINA (“There is no alternative” - Não há alternativa). Inventada pelo filósofo inglês Herbert Spencer nos idos do século XIX, então um defensor do liberalismo económico, ressuscitada muitas décadas depois pela ‘Dama de Ferro’, a antiga primeira-ministra britânica Margaret Thatcher.

Mas, entre todas elas, a austeridade tornou-se a bússola da política económica e financeira. Teve a dar-lhe brilho teórico a ajuda das investigações académicas de Alberto Alesina (entretanto falecido em 2020) e de Kenneth Rogoff, ambos professores da Universidade de Harvard, em Boston.

A austeridade tornou-se a bússola da política económica e financeira. Teve a dar-lhe brilho teórico as investigações académicas de Alberto Alesina e de Kenneth Rogoff, ambos professores da Universidade de Harvard, em Boston.

Artigo Exclusivo para assinantes

Assine já por apenas 1,63€ por semana.

Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para continuar a ler