Cape Verde
This article was added by the user . TheWorldNews is not responsible for the content of the platform.

Santo Antão: Autarcas da ilha “surpresos e perplexos” com novas tarifas de transporte marítimo 

Os presidentes das Câmaras Municipais de Santo Antão manifestarm-se, este Sábado, “surpresos e perplexos” com o aumento da tarifa dos transportes marítimos sem se auscultar a Associação dos Municípios. Neste sentido, pedem medidas do Governo para mitigar as consequências desse aumento na vida dos santantonenses.

O presidente da Associação dos Municípios de Santo Antão, António Aleixo, em nome dos autarcas, disse que as câmaras municipais desta ilha “não podem ficar indiferentes” perante a adopção desta actualização tarifária “nos valores da sua aplicação”, manifestando “a sua tremenda preocupação” pelos impactos que este novo tarifário vai ter nos serviços, empresas, operadores económicos e nas comunidades.

Conforme António Aleixo, está em causa a “permanente e indispensável mobilidade que sustenta a conectividade, unificação e complementaridade” entre as ilhas de Santo Antão.

Municípios não foram ouvidos 

Para a actualização das tarifas de transporte marítimo, os autarcas santantonenses entendem que, além da Associação da Marinha Mercante e da Associação da Defesa dos Consumidores (Adeco), dever-se-ia auscultar, igualmente, os municípios de Santo Antão e de São Vicente.

Esta actualização, segundo o presidente da Associação dos Municípios de Santo Antão, ocorre “num contexto de mais uma crise internacional” de natureza económica, financeira, alimentar, nutricional e energética, despoletada pela guerra na Ucrânia.

Contra discriminação de preços entre nacionais e estrangeiros 

Os presidentes das câmaras municipais de Santo Antão estão contra a “discriminação tarifaria” entre os cidadãos estrangeiros e nacionais, considerando que esta medida que afectará o turismo nesta ilha.

Os autarcas exigem, por isso, que o Governo “elimine” esta discriminação para os cidadãos estrangeiros “ou no mínimo baixar drasticamente a sua expressão e a sua grandeza” para garantir a competitividade do destino turístico de Cabo Verde e de Santo Antão.

Os presidentes das câmaras municipais de Santo Antão sugerem ainda ao Governo que introduza “factores de mitigação” dos impactos dos aumentos que tenham em conta “o encarecimento do custo de vida, a perda dos rendimentos, a redução do poder de compra e deterioração das condições de vida das famílias”.

C/ Inforpress

PUB